Atualidades – Uma planta da Amazônia, nome científico “Piper aduncum”, vem sendo testada no combate ao mosquito Aedes aegypti.

29.07.2017 | em atualidades

planta

Uma planta nativa da Amazônia, de nome científico Piper aduncum, pode se tornar mais uma alternativa para combater o mosquito Aedes aegypti, que transmite doenças como dengue, febre amarela, chikungunya e zika vírus. Pesquisas realizadas em Manaus (AM) com essa planta, numa parceria entre a Embrapa Amazônia Ocidental e o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), têm contribuído com estratégias para desenvolver bioprodutos para controle do mosquito. Esta planta possui um alto teor de dilapiol, substância com efeito inseticida, fungicida, moluscida, acaricida, bactericida, larvicida para diversos tipos de organismos.

A Piper aduncum é conhecida popularmente como pimenta-de-macaco, jaborandi-do-mato ou aperta-ruão. A planta é nativa da região Amazônica, onde pode ser localizada em áreas de borda da floresta, mas também ocorre em outras regiões brasileiras tropicais.

Um dos focos de interesse na Piper aduncum é seu alto teor de dilapiol, substância com efeito inseticida já conhecido. Essa substância, definida na química como um fenilpropanoide, vem sendo testada em vários estudos científicos e tem demonstrado também atividade fungicida, moluscida, acaricida, bactericida e larvicida para diversos organismos.

Através da nanotecnologia, tenta-se prolongar o tempo de efeito da repelência dos óleos essenciais que utilizam a Piper aduncum, dando assim, uma maior durabilidade do tempo do repelente, deixando a pessoa protegida por mais tempo.

Portanto, as pesquisas sobre esta planta estão em pleno andamento, tentando cada vez mais, aprimorar a sua forma de utilização no auxílio a proteção contra doenças causadas pelo mosquito Aedes aegypti.

Fonte: https://www.climatempo.com.br/inverno/noticia/2017/03/02/planta-da-amazonia-e-testada-no-combate-ao-mosquito-aedes-aegypti

 

Deixe seu comentário!