Saiba quais são os benefícios que o rabanete pode trazer a nossa saúde.

31.07.2015 | em saúde

 

 

rabanete

 

A raiz – Rabanete (cujo nome científico é Raphanus sativus) é originária da região do Mar Mediterrâneo, historicamente sempre foi bastante apreciada no Egito, na Grécia e em Roma. Atualmente ela é muito utilizada e valorizada na culinária asiática e na Europa. No Brasil, o consumo de rabanete não é tão comum. Porém por ser uma raiz bastante valorizada em outros países da Ásia e Europa, pelos seus usos na culinária e por conter diversas propriedades medicinais benéficas a saúde, a fama do rabanete está começando a se popularizar.

Em documentos sobre as hortaliças, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) Hortaliças informa que o rabanete é fonte de vitamina C, fósforo e fibras e que, por possuir poucas calorias, é recomendado para pessoas em dietas de emagrecimento.

A nutricionista Mirian Martinez, do Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo, considera o alimento essencial para quem quer prevenir ou tratar a esteatose hepática. “Essa raiz tem uma essência responsável pelo sabor picante, que aumenta a secreção da bile pelo fígado”, afirma. Por conter baixíssimas quantidades calóricas (100 gramas contém apenas 20 kcal), os rabanetes podem ser consumidos em dietas de restrições calóricas e com a grande vantagem de ser um alimento que ajuda na digestão dos amidos, por conter uma enzima conhecida por diatase.

Mas o rabanete traz outros benefícios à saúde, por conter fibras, vitamina C e minerais como potássio e fósforo. Suas substâncias antioxidantes, como a luteína e a zexantina, fazem dele um forte defensor da pele e combatente ao envelhecimento precoce. Então, da próxima vez que for ao mercado ou à feira, olhe com mais atenção para esta raiz.

Uma pesquisa realizada conjuntamente pelas universidades Flórida A&M e Texas A&M (EUA), mostrou que novos compostos sintetizados a partir de vegetais, entre eles o rabanete, podem combater o câncer de mama triplo-negativo, um tipo raro e agressivo da doença que é caracterizado por ter os três receptores (estrógeno, progesterona e her2) negativos, dificultando o ataque à doença com medicamentos, por não ter um receptor identificado. Apresentado em 2012 em um congresso farmacêutico nos Estados Unidos, o estudo mostrou que os compostos sintéticos derivados de vegetais que contêm a substância diindolilmetano (DIM) têm ação anticancerígena e são uma esperança na briga contra os tumores triplo-negativos.

Modo de usar: o rabanete deve ser consumido com casca (preferencialmente) e de diferentes maneiras. A melhor delas é crua, para o aproveitamento de todos os seus nutrientes. Sozinho ou acompanhado de outros legumes ou verduras e até frutas, como o kiwi, ele aparece mais em saladas. Quando cozido, seu sabor é menos picante, e integra bem pratos mais elaborados, como risotos, frangos e salpicão. O consumo pode ser diário em diversificados preparos, mas deve marcar presença à mesa pelo menos três ou quatros vezes por semana.

Fica aí para vocês mais alguns conhecimentos sobre esta raiz, o rabanete. Quem sabe você não tem curiosidade de provar e conhecer o seu sabor!

fonte: http://revistavivasaude.uol.com.br/guia/rabanete-previne-doencas-do-figado-e-cancer-de-mama/4650/; http://www.infoescola.com/plantas/rabanete/

Deixe seu comentário!