Saúde – Disfunção Temporomandibular ou ATM.

09.03.2017 | em saúde

 

atm

ATM – Muitas enxaquecas, dores de cabeça, faciais, no ouvido, na coluna e até mesmo nos olhos, podem estar associadas à desordem da Articulação Temporomandibular (ATM), que por sua vez ocorre pelas más oclusões dentárias, hábitos para- funcionais (apertar ou ranger os dentes), doenças reumatológicas, traumas e fator emocional.

A ATM é uma alteração da articulação que liga o maxilar à mandíbula. Essa articulação é uma das mais complexas do corpo humano, responsável por mover a mandíbula para frente, para trás e para os lados. Qualquer problema que impeça a função ou o adequado funcionamento deste complexo sistema de músculos, de ligamentos é considerado como desordem da ATM.
Por exemplo, é muito comum as pessoas perceberem um deslocamento na articulação e ouvir um estalido ao mastigar ou bocejar. Este “clique” perceptível, às vezes até por quem está próximo da pessoa, é uma síndrome e não um sintoma isolado. O diagnóstico deve ser feito por um profissional odontólogo especialista em ATM, com estudo da articulação da boca, músculos faciais, pescoço e cervicais, e da oclusão dentária. Além de ruídos na articulação mandibular, audível ou palpável à abertura da boca, verificam-se desvios na abertura da mandíbula.

Causas:
São várias as causas deste problema:  traumas locais, processos que causam estresses articulares (amigdalectomia, intubação), atritos, bruxismo, má oclusão e por fim tem-se sugerido influência hormonal ou genética pela alta proporção de mulheres afetadas.

Avaliação:
A avaliação da desordem pode ser feita através de exames clínicos, radiografias transcranianas, tomografias computadorizadas, sonografias, eletrognatografias e, com menor índice de radiação, a ressonância magnética.

Tratamento:
O tratamento da patologia é multidisciplinar, exigindo a participação de odontólogos, médicos especialistas em otorrino, neurologia, ortopedistas,
fisioterapeutas, fonoaudiólogos e psicólogos. Esta exigência dependerá do tipo e estágio da doença. Para o leigo, uma das melhores formas de percepção é o ruído ao abrir a boca e dores generalizadas na face, crânio e pescoço.
Para fazer uma avaliação procure o seu dentista, ele pode identificar o problema e lhe encaminhar para um especialista na área. Fica a dica!
Fonte: www.revistasaudenews.com.br; fonte foto: revista saúde.

Deixe seu comentário!